It’s over.

Quantas linhas eram feitas antes das rosas mortas dos buquês que nunca recebi? Vi você fugindo como quem da morte foge e de repente percebi que nada sinto além da vontade de te ajudar a ir cada mais e mais longe- para além de mim.
O outro lábio doce e a língua morna confortaram-me como você nunca conseguiu. Quero tua ausência eterna e para sempre sozinha de você. O sol entra pela janela calmo e banha meu rosto que não mais aflito pela tua ausência, calmo pelo teu abandono. Abandono sim admito, melhor dádiva de toda essa primavera.
Procurar abrigo em pelos outros. Procurar imagens em telas novas. Adeus, amor antigo, adeus.