8:


Essas paredes brancas, ela disse, a culpa é dessas paredes brancas. Elas nos cobram uma serenidade que jamais nos seria possível. Sempre me senti estranha a essa calmaria toda; perto de tanta brisa tornei-me ainda mais tempestade.

O corredor. O corredor de todos os dias. As escadas. Um, dois, três e vinte e cinco. Alcanço a rua. Tropeço na tarde chuvosa. Escorrego na vida encharcada de transitividades. O que vem antes, a chuva ou a tristeza? Tudo o que (nos) restou foi a lama. Só a lama e a ausência:

tempestade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s